Gênero: Queer

Ícone

New Queer Cinema

Nascido no território do cinema independente dos Estados Unidos a  partir dos anos de 1990, o New Queer Cinema representa um cenário que investe em uma prática discursiva positiva sobre o homoerotismo, em uma época que o público  GLBT– gays, lésbicas, bissexuais e travestis, transexuais, transgêneros – estava sendo alvo de uma guerrilha moral devido a crescente expansão da Aids em todo mundo. O termo New Queer Cinema foi assim determinado pela crítica de cinema e feminista norte-america B. Ruby Rich, em um artigo publicado em 1992 na revista britânica Sight
& Sound, onde a mesma buscava conceituar a efervescente produção cinematográfica com temáticas gays bastante difundidas nos circuitos e festivais de cinema independentes ou nos festivais de cinema exclusivamente GLBT2.

Alguns dos filmes que marcaram presença nesta nova configuração foram Young Soul Rebels (1991, Isaac Julien), Veneno (1990, Todd Haynes), Eduardo II (1992,Derek Jarman) e Swoon – Colapso do Desejo (1992,Tom Kalin).

Esta geração de cineastas se destacou pela construção de filmes com abordagens menos sensacionalista sobre a produção da diferença dos corpos, gêneros, sexualidades e, mais interessada na complexificação das subjetividades ambíguas e transgressivas. O New Queer Cinema passou então a ser esta janela que dá visibilidade a encruzilhada de múltiplos componentes de subjetividades que são agenciadas tanto pelos modelos fixos de sexualidade, com seus processos de normatização e vigilância, como também pelo desejo do devir, das escolhas pessoais do próprio corpo e da autoreferência de gênero. Entre as vozes dissonantes estão os cineastas abertamente gays que se destacam neste contexto como: o americano Gus Van Sant, diretor de filmes emblemáticos a exemplos de Mala Noche (1985), Garotos de Programa (1991) ao mais recente Milk- A voz da Igualdade (2008); o britânico Derek Jarman, com
produções marcantes como Eduardo II (1992), Caravaggio (1986), além de Todd Haynes, com uma cinematografia de peso marcada pelo filmes Veneno (1990), Velvet Goldmine (1998) , Não Estou Aí (2008) e o aclamado Tão Longe do Paraíso (2002).

Fonte: http://itaporanga.net/genero/gt6/13.pdf

Para saber mais sobre o New Quer Cinema e para ter acesso à filmografia, clique na imagem abaixo:

Clique na imagem para saber mais sobre o New Queer Cinema

Filed under: Uncategorized

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s